top of page

Ibovespa fecha em queda, mas sobe 5,76% na semana

Depois de cinco altas consecutivas, com a Bolsa brasileira indo na contramão de Wall Street, nesta sexta (7) o Ibovespa seguiu seus pares norte-americanos e fechou em queda. O recuo foi de 1,01%, a 116.375,25 pontos.


As perdas, entretanto, não foram suficientes para que o índice de ações revertesse os ganhos semanais. De segunda (3) até hoje o Ibovespa registrou uma valorização de 5,76%.


Hoje, o Departamento do Trabalho dos Estados Unidos divulgou que foram criadas 263 mil vagas de emprego fora do setor agrícola em setembro – número menor do que apontava o consenso de mercado (270 mil) e abaixo dos 315 mil de agosto. A taxa de desemprego caiu a 3,5% ante expectativa de estabilidade em 3,7%.


William Castro Alves, estrategista-chefe da Avenue Securities, afirma que, embora os números apontem para uma piora do mercado de trabalho norte-americano, os dados ainda são muito tímidos, com a taxa de desemprego caindo.


“O dado reforçou a percepção de que ainda há muito trabalho para o Fed (banco central dos EUA) no sentido de desaquecer o mercado de trabalho e evitar uma espiral inflacionária com mais elevações de salários”, afirmou em comentário a clientes.


Analistas indicam que os os gastos do consumidor continuarão subindo nos Estados Unidos e diminuem as expectativas de moderação do aperto monetário em novembro. O payroll registrou seu menor avanço mensal desde abril de 2021 (263 mil), a taxa de desemprego ficou numa baixa de 50 anos (3,5%), e os ganhos médios por hora subiram.


O mercado já crava 0,75 ponto percentual na alta dos juros americanos em novembro e especula outros 0,75 p.p. em dezembro.


A percepção de que esse ciclo agressivo de aperto monetário pode provocar uma recessão aos EUA segue a pressionar as bolsas em NY: Dow Jones caiu 2,10%, a 29.297,25 pontos, S&P 500 perdeu 2,80%, a 3.639,84 pontos, e o Nasdaq recuou 3,80%, a 10.652,40 pontos.


Por aqui, o clima de Wall Street contaminou o Ibovespa, mas a Bolsa brasileira registrou uma perda menor do que a de suas similares. Ainda assim, 70% das ações listadas no índice fecharam em campo negativo nesta sexta.


Cosan (CSAN3) registrou a maior queda, ao recuar 8,72%, após anunciar aos investidores que comprou 4,9% das ações da Vale (VALE3) e tem intenção de aumentar ainda mais sua participação na mineradora.


De acordo com a companhia, trata-se de um movimento estratégico em um setor bem posicionado no Brasil e que proporciona diversificação de carteira. Estima-se que a aquisição irá custar R$ 17 bilhões.


Ações do Bradesco (BBDC4) também foram penalizadas nas negociações do dia após o JPMorgan mudar sua recomendação para os papéis do banco de compra para neutra. Os analistas afirmam que o banco está mais exposto a classes de renda mais baixas e isso aumenta o risco de crédito.


Segundo eles, há oportunidades melhores no segmento financeiro, como o Itaú (ITUB4) e a peruana Credicorp. Resultado, as ações BBDC4 caíram 2,38%, a R$ 20,47.


Já entre as altas, Cielo (CIEL3) é o destaque do Ibovespa, com avanço de 2,75%, a R$ 5,60, na esteira da expectativa de bons resultados da empresa no terceiro trimestre. O Bank of America (BofA) elevou a recomendação do ativo de neutra para compra, e o preço-alvo de R$ 5,60 para R$ 7,40.


A instituição norte-americano afirma que o atual momento da Cielo é positivo e o valuation da empresa está descontado, além de ressaltar que o papel acumula alta de mais de 100% no ano.


O dólar comercial sobe, influenciado pela perspectiva de alta dos juros nos EUA, que beneficia os investimentos em renda fixa do país. No dia, o dólar sobe 0,05%, a R$ 5,2125.





コメント


bottom of page