top of page

Trump ataca julgamento de fraude financeira que pode fazê-lo perder a Trump Tower: ‘Uma farsa’


O ex-presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, classificou o seu julgamento de fraude financeira, iniciada nesta segunda-feira, 2, em Nova York, como uma farsa. “Estamos diante de uma procuradora-geral racista que montou um espetáculo de horror”, disse o republicano antes de entrar na audiência. “É uma farsa”, acrescentou. Trump compareceu à Suprema Corte do estado de Nova York sob a qualidade de testemunha. Ele e seus dois filhos – que também compareceram ao tribunal – são acusados de terem inflacionado durante anos o valor dos seus ativos imobiliários. Seu julgamento civil ameaça seus impérios. Lá dentro, Trump disse aos meios de comunicação social que se trata de uma “continuação da caça às bruxas” contra ele, considerou o caso uma farsa e reafirmou a validade das suas demonstrações financeiras sob escrutínio e o valor das suas propriedades.


Se sanções forem impostas, ele pode perder vário empreendimento, incluindo a Trump Tower. Embora não possa ser condenado à prisão por esta acusação, o julgamento será um prelúdio de uma série de processos judiciais que poderão prejudicar a sua campanha pela indicação republicana. Trump é o favorito para concorrer às eleições presidenciais pelo Partido Republicano em 2024. O bilionário é acusado criminalmente em quatro casos diferentes, o que até o momento não afetou sua popularidade entre as bases republicanas.


O julgamento desta segunda assumiu uma importância considerável na semana passada, quando o juiz Arthur Engoron, que o preside, decidiu que a “fraude contínua” foi comprovada e que o gabinete da Procuradoria-Geral do estado de Nova York já tinha provado que Donald Trump e os diretores do seu grupo haviam “supervalorizado” os seus ativos entre US$ 812 milhões e US$ 2,2 bilhões entre 2014 e 2021 (cerca de R$ 2,1 bilhões e R$ 12,2 bilhões nas respectivas cotações da época). Em meio a esse novo julgamento de Trump, a Suprema Corte dos Estados Unidos recusou, nesta segunda, estudar um caso que pedia que o ex-presidente Donald Trump não pudesse voltar a ser candidato devido à sua suposta responsabilidade no ataque ao Capitólio no início de 2021, quando perdeu as eleições para Joe Biden, e do qual de deve comparecer ao tribunal federal de Washington em 4 de março para responder às acusações.

Comments


bottom of page