top of page

‘Reforma tributária não pode aprofundar desigualdade federativa’, diz governador do Mato Grosso


O governador do Mato Grosso, Mauro Mendes (União Brasil), afirmou na manhã desta quarta-feira, 14, que a reforma tributária não pode aprofundar a “desigualdade federativa”. A declaração foi feita durante entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan News. Para Mendes, tanto o Mato Grosso quanto outros Estados perdem com a proposta.


“Tivemos uma reunião de quase três horas entre governadores do Centro-Oeste com o deputado Agnaldo Ribeiro. Ali não só criticamos, mas também apresentamos algumas propostas objetivas. O Mato Grosso, por exemplo, mas tem outros Estados, é super perdedor numa reforma. Uma reforma não pode aprofundar uma desigualdade federativa, não pode causar desequilíbrios como aquilo que está sendo proposto nesta migração de origem para 100% do destino”, comentou. “Nós defendemos que possa ter uma transição mais lenta para que todos possam ter a oportunidade de ir adaptando suas economias, seus Estados, e criando mecanismos para podermos suportar essas importantes modificações”, acrescentou o governador.


A Câmara dos Deputados deve votar, em plenário, a reforma tributária até 10 de julho. O prazo foi anunciado nesta quarta-feira, 7, pelo líder do governo Lula na Casa, deputado federal José Guimarães (PT-CE). Segundo ele, a aprovação do texto é “prioridade absoluta”. O presidente da Casa, o deputado Arthur Lira (PP-AL) já havia declarado que a reforma tributária será analisada antes do recesso parlamentar. “Precisamos agora focar na reforma tributária. Eu pedi o envolvimento do governo, e o presidente tem realmente interesse nessa matéria, porque sabe que isso é importante para o país”, pontuou.


Confira a íntegra da entrevista com o governador do Mato Grosso, Mauro Mendes:



Opmerkingen


bottom of page