top of page

Rússia ataca porto da Ucrânia crucial para acordo sobre exportação de alimentos


A Rússia atacou com drones as instalações de grãos em um porto da região de Odessa nesta terça-feira, 11, em um momento em que a cúpula da Organização da Tratado do Atlântico Norte (Otan) está reunida na Lituânia para discutir ajuda para a Ucrânia e o ingresso do país na Aliança. O porto de Odessa é uma área crucial para o acordo de exportação entre Kiev e Moscou, que está a ponto de expirar. “Um terminal de grãos em um porto da região de Odessa foi alvo de um ataque potente”, afirmou o governador da região, Oleg Kiper, sem revelar o nome da instalação afetada. As forças aéreas ucranianas afirmaram que as tropas russas lançaram até 28 drones de fabricação iraniana contra o território do país durante a noite e que 26 foram derrubados. Essa região às margens do Mar Negro tem três portos que integram o acordo internacional para permitir a exportação de cereais ucranianos, apesar do conflito. O país é um dos principais produtores de grãos do mundo e o acordo ajudou a reduzir a crise alimentar mundial provocada pela invasão russa.


O pacto, mediado por Turquia e ONU, expira em 17 de julho e a Rússia afirmou que não vê motivos para prorrogar o acordo. “Dois terminais, incluindo um de grãos, pegaram fogo na queda de pedaços dos drones abatidos”, disse Kiper. O governador indicou que as chamas foram controladas e não provocaram grandes danos ou vítimas. Ele destacou que 22 drones foram destruídos pela defesa aérea no sul do país e outros dois atingiram um prédio administrativo nas proximidades do porto. Destroços de drones também atingiram algumas localidades da região de Kiev, destacou o serviço estatal de emergências, que publicou imagens de pedaços dos aparelhos nas ruas.


Após a invasão das tropas russas em fevereiro de 2022, os portos ucranianos no Mar Negro foram bloqueados por navios russos, o que impediu a exportação de cereais e provocou uma forte alta dos preços em todo o planeta. O acordo, assinado em julho de 2022 para permitir a retomada das exportações, foi prorrogado diversas vezes, mas deve expirar em 17 de julho. Insatisfeito com o funcionamento de um acordo paralelo sobre as exportações russas de alimentos e fertilizantes, Moscou afirma que não vê motivos para renovar o pacto. A Ucrânia é um dos principais produtores de grãos do mundo e o acordo ajudou a reduzir a crise alimentar mundial provocada pela invasão russa.


*Com informações da AFP


Leia também

bottom of page