top of page

Ministro da Fazenda tem CPF usado em plataforma de apostas sem autorização




O ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT), teve seu CPF cadastrado em uma plataforma de apostas sem sua autorização, o que levou a uma denúncia à Polícia Federal. Haddad percebeu a utilização indevida de seus dados ao consultar o site PixBet, onde notou informações faltantes e inválidas, além do seu CPF já estar em uso. A situação foi tratada como uma violação à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), que garante ao cidadão o direito de saber quais informações estão sendo coletadas, como estão sendo armazenadas e para qual finalidade estão sendo utilizadas. Diante disso, o ministro enviou um ofício ao Ministério da Justiça e Segurança Pública no final do ano passado, solicitando a abertura de um inquérito pela PF. A empresa PixBet, responsável pelo cadastro indevido, afirmou ter agido prontamente para resolver a situação, bloqueando o acesso ilegal e incluindo o ministro em uma lista de segurança especial para pessoas politicamente expostas. A assessoria de Haddad informou que a empresa tomou as medidas necessárias para corrigir o erro.

No ofício encaminhado ao então ministro da Justiça, Flavio Dino, Haddad pediu a abertura de um inquérito para investigar o caso. A denúncia de uso indevido dos dados pessoais do ministro reforça a importância da proteção de informações sensíveis e da responsabilidade das empresas em garantir a segurança dos dados de seus usuários.

Comentários


bottom of page