top of page

Manifestantes se reúnem no Palácio da Alvorada antes da diplomação de Lula

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e seu vice, Geraldo Alckmin (PSB), serão diplomados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta segunda-feira, 12. A cerimônia, marcada para as 14h30, é a última etapa do processo eleitoral antes da posse, em 1º de janeiro de 2023. As forças de segurança de Brasília estão em alerta para a realização de protestos realizados por apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL). Neste domingo, 11, manifestantes que não concordam com o o resultado das eleições se reuniram e acamparam na frente do Palácio do Alvorada, onde se encontraram com o presidente e a primeira-dama, Michelle Bolsonaro. Durante a noite, lanches foram distribuídos aos manifestantes, que permanecem no local. Pelas redes sociais — sobretudo o Twitter e o WhatsApp —, os apoiadores de Bolsonaro convocam manifestações contra a diplomação de Lula e fazem um chamamento para todos se manterem em vigília no Palácio da Alvorada.


Por causa dos protestos, que se alongam desde sábado, 10, o termo “Alvorada” está entre os mais falados do Twitter. A diplomação ocorrerá na sede do TSE e um forte esquema de segurança foi montado com viaturas da Polícia Militar (PM) e o esquadrão anti-bomba da Polícia Federal (PF). De acordo com o TSE, o presidente e o vice serão conduzidos para dentro do plenário da corte por um dos ministros, que será designado pelo presidente do tribunal, o ministro Alexandre de Moraes. Também há uma expectativa de discursos de Lula e Moraes após a diplomação. Cerca de mil pessoas foram convidadas, parte delas vai acompanhar a cerimônia de dentro do plenário e outra parte será dividida em dois espaços que terão telões para acompanhamento da diplomação.

Comments


bottom of page