top of page

Lula condena situação na Bolívia e reforça compromisso com democracia: ‘Golpe nunca deu certo’




O presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, condenou a situação da Bolívia e reforçou seu compromisso com a democracia. “A posição do Brasil é clara. Sou um amante da democracia e quero que ela prevaleça em toda a América Latina. Condenamos qualquer forma de golpe de Estado na Bolívia e reafirmamos nosso compromisso com o povo e a democracia no país irmão”, escreveu o mandatário. O mandatário se reúne nesta quarta com o chanceler Mauro Vieira e com o assessor especial da Presidência para assuntos internacionais, embaixador Celso Amorim. Mais cedo, Lula disse que não tinha mais informações sobre o que estava acontecendo no país vizinho, mas disse que ‘golpe nunca deu certo’. “Eu quero informações. Eu pedi para o ministro Mauro ligar para a Bolívia, ligar para o presidente da Bolívia, ligar para o embaixador brasileiro para a gente ter certeza, para ter uma posição. Como eu sou um amante da democracia, eu quero que a democracia prevaleça na América Latina. Golpe nunca deu certo”, completou.

O governo brasileiro emitiu uma nota no começo da noite desta quarta-feira (26) condenando a tentativa de golpe de estado e mobilização irregular de tropas do Exército no país. “Manifestamos apoio e solidariedade ao Presidente Luis Arce e ao Governo e povo boliviano. Estaremos em interlocução permanente com as autoridades legítimas bolivianas e com os Governos dos demais países da América do Sul no sentido de rechaçar essa grave violação da ordem constitucional na Bolívia”, diz o comunicado. “Esses fatos são incompatíveis com os compromissos da Bolívia perante o MERCOSUL, sob a égide do Protocolo de Ushuaia”, acrescentou. O Itamaraty, que está atento a situação na Bolívia, disponibilizou telefone dos consulados e embaixadas do Brasil na Bolívia, para que os brasileiros contatem e peçam ajuda, caso necessário.

Na tarde desta quarta, o ex-presidente boliviano, Evo Morales, o presidente Luis Arce, usaram as redes sociais para informar que um golpe de estado estava sendo gestado na Bolívia. “Gesta-se o Golpe de Estado. Neste momento, pessoal das Forças Armadas e tanques se mobilizam na Praça Murillo”, escreveu Morales. “Denunciamos mobilizações irregulares de algumas unidades do Exército Boliviano. A democracia deve ser respeitada”, disse Arce. Juan José Zuñiga, comandante do exército, declarou em outra mensagem na rede social, convocou uma mobilização Nacional para defender a Democracia frente ao golpe de Estado que é gestado e liderado pelo general.

Comments


bottom of page