top of page

Jogadores viram réus em ação contra manipulação no futebol

A Justiça de Goiás acatou, na tarde desta terça-feira (9), a segunda denúncia do Ministério Público de Goiás (MP-GO) contra um grupo criminoso que manipulava o resultado de jogos de futebol das Séries A e B do Campeonato Brasileiro.


Os 16 denunciados nesta segunda fase da operação Penalidade Máxima II são acusados de manipulação de oito jogos da Série A realizados em 2022, um jogo da Série B também realizado em 2022 e quatro jogos de campeonatos estaduais de 2023, incluindo os Campeonatos Paulista e Gaúcho.


Para tanto, os jogadores envolvidos no esquema receberiam valores que, de acordo com o MP-GO, variavam entre R$ 50 mil a R$ 500 mil para provocarem eventos específicos em jogos previamente selecionados, como cometimento de pênaltis, cartões amarelos ou vermelhos em determinada etapa da partida, diferença de gols no primeiro tempo, entre outros.


Os acusados nessa fase da investigação são Bruno Lopez de Moura, Thiago Chambó Andrade, Romário Hugo dos Santos, que se encontram presos desde o dia 18 de abril, além de Ícaro Fernando Calixto de Santos, Luís Felipe Rodrigues de Castro, Victor Yamasaki Fernandes, Zildo Peixoto Neto, William De Oliveira Souza, Pedro Gama dos Santos Júnior.


Além desse grupo, também viraram réus os jogadores Eduardo Bauermann, do Santos; Gabriel Tota, do Ypiranga; Victor Ramos, da Chapecoense; Igor Cariús, do Sport; Paulo Miranda, do Náutico; Fernando Neto, do São Bernardo; e Matheus Gomes, do Sergipe.


Em sua decisão, o juiz Alessandro Pereira Pacheco, da 2ª Vara Estadual de Repressão ao Crime Organizado e à Lavagem de Capitais, autorizou o compartilhamento de todas as provas produzidas durante a investigação com órgãos de fiscalização, investigação ou disciplinar e o encaminhamento de cópia do processo ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva.


O juiz destacou na decisão que, após a primeira fase da Operação Penalidade Máxima, que teve início em novembro do ano passado, o MP-GO apontou indícios de corrupção em, pelo menos, outros nove jogos recentes, realizados entre novembro de 2022 a fevereiro de 2023. As manipulações que tratam essa segunda denúncia ocorreram nos seguintes jogos:


  • Palmeiras x Juventude – Brasileirão

  • Juventude x Fortaleza – Brasileirão

  • Goiás x Juventude – Brasileirão

  • Ceará x Cuiabá – Brasileirão

  • Red Bull Bragantino x América-MG – Brasileirão

  • Santos x Avaí – Brasileirão

  • Palmeiras x Cuiabá – Brasileirão

  • Botafogo x Santos – Brasileirão

  • Sport x Operário (PR) – Série B

  • Guarani x Portuguesa – Paulistão

  • Red Bull Bragantino x Portuguesa – Paulistão

  • Esportivo x Novo Hamburgo – Gauchão

  • Caxias x São Luiz – Gauchão


*AE

コメント


bottom of page