top of page

‘Inimigos começaram a pagar o preço’, diz Netanyahu sobre operação em Gaza


Em um pronunciamento televisionado, algo raro de acontecer, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse que a operação israelense na Faixa de Gaza está só começando e prometeu destruir o Hamas, e prometeu que nunca esquecerá ou perdoará os atos horríveis dos nossos inimigos. “Nossos inimigos apenas começaram a pagar o preço. Não posso divulgar o que vem em seguida, mas vou dizer-lhes que isto é só o começo”, declarou Netanyahu em discurso à nação. “Estamos lutando pelo nosso lar como leões”, acrescentou, enfatizando que o país conta com a ajuda militar dos Estados Unidos. Netanyahu prometeu destruir o Hamas, mas adiantou que vai levar tempo, porém, garantiu que “terminaremos esta guerra mais fortes”. Nesta sexta-feira, 13, Israel lançou os primeiros ataques terrestres a Gaza, algo que estava prometendo desde o começo da semana e preocupou a comunidade internacional.


Esses avanços acontecem no mesmo dia em que Israel deu um prazo de 24 horas para saída de 1 milhão de da metade norte de Gaza fugirem para o sul e escaparem de um ataque. O Hamas prometeu lutar até a última gota de sangue e disse aos moradores para não irem embora. O tempo se encerrou às 18h (horário de Brasília), e a imprensa local alega que alerta de foguetes começaram a soar mais forte minutos após o final do prazo. Existem brasileiros na região que tentam ser resgatados. Um avião brasileiro já está em Roma aguardando a autorização do Egito para ir repatriar os cidadãos. O porta-voz militar israelense, contra-almirante Daniel Hagari, afirmou que tropas apoiadas por tanques realizaram incursões para atacar as equipes de foguetes palestinas e buscar informações sobre a localização dos reféns tomados pelo Hamas.


O conflito entre Israel e Hamas, que começou no dia 7 dr outubro, já deixou mais de 3.200 mortos. Segundo o último balanço divulgado, são 1,900 vítimas na Faixa de Gaza, incluindo 614 crianças e 370 mulheres, informou, nesta sexta-feira, 13, o ministério da Saúde do movimento islâmico palestino Hamas. Além disso, pelo menos 7.696 pessoas ficaram feridas, acrescentou, após o Hamas lançar uma ofensiva contra Israel por terra, mar e ar no sábado. Em Israel, são 1.300 em Israel, conforme os dados oficiais, além dos 46 mortos em outras regiões. Somando as vítimas dos dois lados, são 3.246 mortos, entre eles estão os três brasileiros que estavam desparecidos. Nesta sexta, o Itamaraty confirmou a morte de Karla Stelzer. Na terça-feira, 10, o Itamaraty já tinha confirmado a morte do gaúcho Ranani Nidejelski Glazer, de 23 anos, e Bruna Valeanu, de 24 anos.

コメント


bottom of page