top of page

Ex-primeira-ministra do Peru é presa por suposto envolvimento em tentativa de golpe de Castillo


A polícia do Peru prendeu a ex-primeira ministra Betssy Chávez após determinação da Suprema Corte do país. A prisão aconteceu nesta terça-feira, 20, na cidade de Tacna, no sul do Peru, após um recurso apresentado pelo Ministério Público que pedia 18 meses de prisão preventiva contra Chávez. A Corte considerou que o pedido era bem fundamentado e aceitou a solicitação. A ex-primeira-ministra deixou sua residência e foi levada para a carceragem do Poder Judiciário, onde foi submetida a exame de corpo de delito. As autoridades ainda não definiram se ela ficará no local ou se será transferida para a capital Lima.


Segundo a polícia, Chávez não resistiu à prisão e cooperou com os agentes, despedindo-se de sua família antes de ser algemada. Pouco antes de ser presa, Chávez fez uma transmissão ao vivo no TikTok na qual afirmou que iria aguardar a chegada da polícia. A Sala Penal Permanente da Suprema Corte, presidida pelo magistrado César San Martín, pediu a prisão da ex-premiê dentro das investigações sobre sua participação na tentativa de golpe de Estado dada pelo então presidente do Peru, Pedro Castillo, em dezembro do ano passado. No entanto, a Corte não aplicou a mesma medida a outros ex-ministros, como Willy Huerta e Roberto Sánchez, que também são investigados por envolvimento no golpe.

Comentários


bottom of page