top of page

Direita vence e Santiago Peña é o novo presidente do Paraguai

A direita paraguaia está em festa. Santiago Peña, do Partido Colorado, foi eleito neste domingo (30) o novo presidente do Paraguai. Já com 86,8% das urnas apuradas, Peña já gozava de 43,3% dos votos, de acordo com informações da Justiça Eleitoral.


Seu adversário político, Efraín Alegre, do Partido Liberal, tem 27,5% dos votos e já não é capaz de impedir a vitória de seu oponente. Esta eleição tem relação direta com o Brasil, já que este ano será a revisão do Tratado da Usina de Itaipu.


Os paraguaios também votaram pela composição do Congresso e cargos de governadores de províncias, que serão divulgados posteriormente. A espectativa é de que os colorados consigam ampliar sua bancada no Senado e na Câmara.


Santiago Peña é um economista de 44 anos e foi o escolhido do Partido Colorado para enfrentar Alegre, um advogado de 60 anos, que fez uma coalisão com partidos de centro e de esquerda na tentativa de chegar à presidência, após outras duas tentativas fracassadas: uma em 2018 e outra em 2013.


Peña defende políticas liberais na economia e pautas conservadoras e religiosas.


O novo mandatário paraguaio será o negociador com o Brasil acerca da revisão do Anexo C do Tratado de Itaipu, que formata as bases financeiras e de prestação dos serviços de eletricidade da usina, marcada para o mês de agosto.


De acordo com o documento assinado entre os países, toda a energia produzida deve ser dividida entre ambas as nações. O Paraguai nunca usou toda a geração a que tem direito e, segundo o acordo firmado, tem o direito de vender o excedente ao Brasil.


Durante a campanha, Peña comentou o assunto com o Estadão.


– Estou otimista para poder negociar isso com Lula. Ele é uma pessoa com experiência e há testemunhas de que

quer fortalecer os vínculos entre os dois países – disse.

bottom of page