top of page

Brasil encara EUA por vaga na Copa do Mundo de basquete; entenda

A seleção masculina de basquete do Brasil terá pela frente uma desidratada seleção dos Estados Unidos e quase sete mil vozes de apoio no duelo decisivo pela vaga na Copa do Mundo de 2023, na noite deste domingo, às 21h10, no ginásio Arnão, em Santa Cruz do Sul (RS).


É a última rodada das Eliminatórias das Américas. Os adversários, que atuam sem os astros da NBA, já estão classificados. Vitória brasileira garante a presença no Mundial do Japão, Indonésia e Filipinas, em agosto. Uma derrota obriga o time a secar o México diante do Uruguai, no mesmo horário, em Montevidéu.


O Brasil nunca ficou fora de uma edição de Copa do Mundo. Conquistou dois títulos, em 1959 e 1963, além de ser vice-campeão em 1954 e 1970. Na última edição, em 2019, não passou de um 13º lugar na China.


Mundial vale vaga olímpica

No Mundial deste ano, serão definidas sete seleções classificadas para as Olimpíadas de Paris 2024. Os dois melhores das Américas na Copa do Mundo 2023 estarão na capital francesa, ano que vem. Garantem vaga também os dois melhores europeus, o melhor africano, o melhor asiático e o melhor da Oceania no Mundial deste ano. As outras quatro vagas olímpicas - a França, país-sede, está garantida - sairão de pré-olímpicos que vão reunir 40 equipes.


Elenco do Brasil


Posição Clube

Marcelinho Huertas Armador Tenerife (EUA)

Yago Armador Ratiopharm Ulm (ALE)

Elinho Armador São Paulo

Georginho Ala-armador Franca

Vitor Benite Ala-armador Gran Canaria (ESP)

Gui Deodato Ala-armador Flamengo

Léo Meindl Ala U-Banca (ROM)

Gui Santos Ala Santa Cruz Warriors (EUA)

Gabriel Jaú Ala-pivô Flamengo

Lucas Dias Ala-pivô Franca

Márcio Santos Ala-pivô Franca

Bruno Caboclo Ala-pivô Ratiopharm Ulm (ALE)

Rafael Mineiro Ala-pivô Flamengo

Rafael Hettsheimer Pivô Flamengo

Lucas Mariano Pivô Franca

Tim Soares Pivô Sydney Kings (AUS)


- Se a gente conseguir usar a torcida a nosso favor e colocar a nossa motivação dentro da quadra, com certeza, a gente tem um passo muito grande à frente do adversário. O carinho da população em geral aqui tem sido incrível e, com certeza, a gente pode sentir isso dentro da quadra. É dar tudo que a gente tem para sair com essa vitória - afirmou o ala Léo Meindl sobre os fãs gaúchos.


Ele foi o cestinha do time na derrota para Porto Rico, na última quinta-feira, com uma bola decisiva no estouro do cronômetro. O time do técnico Gustavo de Conti desperdiçou a primeira chance de garantir uma das três vagas do grupo F.


Portorriquenhos e mexicanos chegaram às mesmas sete vitórias em 11 jogos. Os EUA têm 9-2. Os confrontos diretos são critérios de desempate. O Brasil perdeu os dois jogos para Porto Rico. Contra o México, venceu um e perdeu outro, mas leva vantagem no saldo de pontos, primeiro critério de desempate.


O Brasil venceu o primeiro duelo contra os EUA por 94 a 79, no último dia 11 de novembro, em Washington. O selecionado norte-americano conta com jogadores da G-League, a liga de desenvolvimento da NBA, além de atletas que jogam fora do país.


O nome mais conhecido é o do armador Langston Galloway, que atuou na NBA por oito temporadas em times como New York Knicks e Detroit Pistons. O resto do elenco é composto por Deonte Burton, Will Davis II, Abdul Gaddy, Treveon Graham, Dusty Hannahs, Nate Hinton, Jay Huff, Xavier Moon, Elijah Pemberton, Reggie Perry e Craig Sword.

bottom of page